Cresça mentalmente para crescer na vida

Cresça mentalmente para crescer na vida

O padrão para medir inteligência mais aceito hoje em dia, é o de medir o QI, certo? Porém, há um grande problema nessa questão: avaliar a inteligência do indivíduo apenas pelo raciocínio lógico e habilidades matemáticas.

Há algum tempo, quero escrever um post sobre o que é realmente ser inteligente. Muitas pessoas associam isso apenas ao QI alto, porém não enxergam que ser inteligente está muito mais ligado com a forma que você age, fala ou se comporta perante tudo o que você já aprendeu.

O padrão para medir inteligência mais aceito hoje em dia, é o de medir o QI, certo?

Porém, há um grande problema nessa questão: avaliar a inteligência do indivíduo apenas pelo raciocínio lógico e habilidades matemáticas.

O que quero dizer com isso? Que além deste tipo de inteligência lógica, aplicado aos estudos principalmente, há outras maneiras que deveriam ser consideradas, já que são elas que decidirão na hora de seu sucesso ao nível pessoal ou profissional.

O psicólogo Howard Gardner da Universidade de Harvard, propõe “uma visão pluralista da mente” ampliando o conceito de inteligência única para o de um feixe de capacidades.

Para ele, inteligência é a capacidade de resolver problemas ou elaborar produtos valorizados em um ambiente cultural ou comunitário.

• Inteligência Verbal ou Linguística: Habilidade para lidar criativamente com as palavras.

• Inteligência Lógico-Matemática: Capacidade para solucionar problemas envolvendo números e demais elementos matemáticos; habilidades para raciocínio dedutivo.

• Inteligência Cinestésica Corporal: Capacidade de usar o próprio corpo de maneiras diferentes e hábeis.

• Inteligência Espacial: Noção de espaço e direção.

• Inteligência Musical: Capacidade de organizar sons de maneira criativa.

• Inteligência Interpessoal: Habilidade de compreender os outros; a maneira de como aceitar e conviver com o outro.

• Inteligência Intrapessoal: Capacidade de relacionamento consigo mesmo, autoconhecimento. Habilidade de administrar a favor de seus projetos, a auto-estima.

Lidar com críticas, com um chefe ou clientes intratáveis, com uma equipe pouco harmônica ou mesmo com tarefas nada atraentes, requerem habilidades as quais hoje chamamos de competências emocionais.

Por essa razão, a "Inteligência Emocional" é a principal ferramenta de desenvolvimento pessoal que nos permite alcançar essa competência para lidarmos com as mais diversas situações, seja no âmbito profissional ou pessoal.

Por isso, não adianta você ler todos os livros da biblioteca, ser um nerd aplicado nos estudos o dia inteiro, ou ainda se propor a ser o novo revolucionário da matemática, se você não consegue crescer mentalmente para aplicar esses conhecimentos.

Deparo-me diariamente com essa questão. Vejo pessoas ao meu redor e ao redor das pessoas que conheço que possuem toda uma "inteligência" e grande capacidade de entendimento das coisas, e são uns reais ignorantes na hora de aplicar esse conhecimento. Não sabem liderar, não sabem influenciar pessoas, e literalmente não sabem vender sua imagem. Não são inteligentes.

Vejo diversos tipos de jovens que estudam em variadas áreas de conhecimento, e estudam, estudam, estudam... E ficam nisso!

Porém, não saem do lugar, não pensam para frente no sentido de aplicação desses conhecimentos para subirem social, pessoal ou profissionalmente.
Um exemplo clássico disso, são pessoas que não tem um foco do que querem e onde querem chegar, e saem por aí aprendendo de tudo um pouco sem uma rota, ou um traço na vida de como atingir um determinado objetivo.

Já pararam para pensar se cada uma das pessoas que divulgam seus livros, textos ou mensagens em blogs e sites motivacionais guardassem o que sabem para eles?

O conhecimento se tornaria algo fútil e não utilitário. Portanto, pare sempre e pense no que você pode e deve evoluir para poder chegar onde deseja o obter o sucesso diante de tudo aquilo que você está construindo ao seu redor.

Pages